Os fabricantes de alimentos e bebidas inteligentes

Os fabricantes de alimentos e bebidas inteligentes

As preferências dos consumidores mudam rapidamente (um dia é comida baixa em sal, no outro sem organismos geneticamente modificados ‘OGM’). As empresas do setor de alimentos e bebidas estão fazendo tudo o que está a seu alcance para atender a demanda.

 

Então quando li a pesquisa “Estado da fabricação de alimentos 2016” da Food Engineering sobre os desafios enfrentados pelos fabricantes de alimentos e bebidas, não me surpreendi ao ler que a automação é a primeira tendência a mudar as operações de produção.

 

Mas sim ao saber que a segunda tendência, a falta de uma mão de obra qualificada, supera o resto, inclusive as regulamentações/segurança alimentar.

 

Deficiência de competências prevista... e materializada

Quando o Manufacturing Institute publicou o Relatório sobre a deficiência de competências pela primeira vez em 2001, o estudo identificou um problema: a diferença entre as competências que os trabalhadores possuíam e as competências que os fabricantes precisariam.    

 

E o problema é cada vez maior. O relatório, atualizado em 2015, afirma que na próxima década, provavelmente cerca de 3,5 milhões de vagas de manufatura precisarão ser preenchidas. Espera-se que a lacuna de competências resulte em 2 milhões daquelas vagas sem preencher[1].

 

Isso é especialmente preocupante, mas não surpreendente, ao considerar o ritmo da transformação.

 

Como será a sua fábrica em 20 anos?

Pense em como a sua casa mudou na última década, com tecnologia que permite que você controle o entretenimento, a iluminação e os termostatos a partir de um smartphone.

 

Agora, aplique o mesmo nível de ‘inteligência’ (ou inclusive uma inovação mais sofisticada) à fabricação de alimentos e bebidas. As operações industriais mudarão mais radicalmente nos próximos cinco anos do que nos últimos 20 anos; a internet das coisas (IoT) é um catalisador nessa mudança. Agora temos oportunidades muito além das imaginadas na época do primeiro relatório de competências.

 

Somos mais inteligentes, mas a convergência dos sistemas existentes e a adoção das novas tecnologias que permitem essa transformação também estão colocando mais carga sobre a força de trabalho.

 

Como a Land O’ Lakes tornou o treinamento essencial para o sucesso

Poucos programas de treinamento e competências em escolas técnicas e universidades são capazes de se atualizar com as últimas inovações de automação para a tecnologia de comunicação em redes, análise de dados e segurança industrial.

 

Isso significa que as grandes empresas são obrigadas a concorrer para obter profissionais excelentes, e não existem suficientes empregados qualificados para suprir a necessidade.

 

Uma das empresas que achou uma solução é a Land O’Lakes, empresa do agricultor ao consumir que desenvolve, suporta e produz das sementes aos produtos presentes em nossas mesas.

 

Land O’Lakes tem centenas de técnicos em manutenção. Mas de acordo com esse cálculo, Mark Hanley, gerente de confiabilidade de ativos na Land O’Lakes, prevê que a demanda por mecânicos de máquinas industriais qualificados aumentará um 18% até 2024. Precisará de mais pessoas qualificadas, mas não sabe onde poderá encontrá-las.

 

Então, ao invés de confiar que programas externos produziriam resultados, Mark e a empresa criaram um programa de treinamento padrão para todas as instalações da Land O’Lakes que integrava os processos da manutenção e operações. Criaram do zero, identificando as competências existentes e necessárias, e a deficiência entre elas, para determinar o programa.  

 

As fábricas, segundo Mark, estão se beneficiando do programa com resultados quantitativos e qualitativos, com melhoras em tudo, do aumento da qualidade na primeira passada, segurança, produtividade e produção, até o aprimoramento do moral e retenção.

 

Aplicar a aprendizagem

 

Esse é um caso, em uma empresa.

 

E embora a Land O’Lakes tenha confiado em nossas Soluções globais para a força de trabalho e especialistas no setor de alimentos e bebidas para criar o treinamento, existem muitas opções para desenvolver uma mão de obra qualificada. 

 

Está perto de uma escola técnica ou de comércio que fornece um programa que atende seus desafios? Pode reunir vários locais e funções ao mesmo tempo para um treinamento focado? Tem recursos internos que podem se encarregar do treinamento de novos empregados?

 

Essas são as perguntas e cenários que devem ser considerados.

 

Entre em contato para conversar sobre seus desafios específicos com relação à disponibilidade de mão de obra e suprimento da deficiência de competências.

Mary Burgoon
Publicado 15 Setembro 2017 Por Mary Burgoon, Market Development Manager, CPG Industry, Rockwell Automation

Blog

Queremos mantê-lo atualizado com o que está acontecendo na sua indústria para ajudá-lo a estar na frente no futuro. O Blog da Rockwell Automation é uma plataforma para os nossos colaboradores e blogueiros convidados para compartilhar tecnologias e temas relacionados com a indústria.