Bausch + Lomb no ARC Forum replica inovações da Automation Fair

Bausch + Lomb no ARC Forum replica a Automation Fair

Com frequência, os novos eventos lembram os anteriores à medida que tentamos colocá-los em contexto e compreendê-los melhor.

Assim, quando Brad Neuroth, principal engenheiro de automação na Bausch + Lomb, apresentou no ARC Industry Forum 2016 como sua instalação de soluções para lentes assépticas em Greenville, S.C., recentemente adotou o sistema digital de controle distribuído (SDCD) PlantPAx da Rockwell Automation, lembrei-me de muitas inovações semelhantes apresentadas na última Automation Fair.

Neuroth relatou que a Bausch + Lomb trabalha com a Malisko Engineering Inc., uma integradora de sistemas certificada pela CSIA em St. Louis, Missouri, e eles desenvolveram um plano mestre em 2012 para substituir o sistema digital de controle distribuído (SDCD) cada vez mais obsoleto da fábrica, que incluía dois sistemas de controle Fisher Porter com seis SDCD para misturas e utilitários.

Isso reduziria o risco para os controles de processo da instalação, utilitários de fábrica e processos e manufatura a granel, que vinham operando com aumentos de volume de cerca de 9,5% ao ano.

Criadas no início da década de 1980, suas aplicações realizam operações de farmácia, composição, mistura, preenchimento, embalagem e paletização, e produzem produtos BioTrue, Renu, PeroxiClear e Sensitive Eyes em pacotes de oito tamanhos e 25 formatos.

"O objetivo principal ... era fornecer uma funcionalidade semelhante ao SDCD existente", afirmou Neuroth no evento em fevereiro. "No entanto, como os projetos originais e os documentos do sistema de controle instalado na década de 1980 não estavam disponíveis, trabalhamos com a Malisko em um projeto base para o novo sistema por meio da engenharia reversa do sistema de controle existente, entrevistando operadores e engenheiros, fazendo o download de código antigo e construindo uma nova arquitetura para manter a conformidade com a regulamentação e a validação.

Para evitar ainda mais o tempo de parada não programada da produção, os engenheiros da Bausch + Lomb e da Malisko planejaram instalar e reduzir para os novos controles em uma base sistema a sistema, tanque a tanque.

O novo SDCD também teria uma interface para um sistema de execução de manufatura de nível de fábrica futuro para programação de produção e registros eletrônicos de lotes. O novo SCP, não mais uma ilha invisível de automação exigindo que todos os relatórios e dados de histórico sejam impressos, também exibe dados em lote e de processo contínuos fora da rede de processos.

A nova arquitetura de sistema da Bausch + Lomb na fábrica em Greenville inclui três servidores físicos HP com oito imagens virtualizadas, incluindo servidores FactoryTalk View e sete clientes finos View SE, servidores FactoryTalk Batch, Factory Talk Historian, Microsoft SQL server e servidores de serviços de área de trabalho remota (RDS) ACP Thin Manager.

A arquitetura também inclui duas estações de trabalho de engenharia, switches Cisco Stackwise entre o centro de dados e a sala de E/S do SDCD, anel Ethernet de nível de dispositivo para todos os racks de E/S, placas de rede separadas para conexão com a rede de negócios da B+L para autenticação de domínio e uma conexão de rede privada virtual (VPN) para permitir o suporte remoto.

Enquanto isso, a fábrica de Greenville também mantém 30 licenças do software FactoryTalk Batch em seus servidores primários e de backup a quente e, normalmente, executa suas receitas validadas usando 19 unidades em 33 fases de produção em dois processadores. Ele também emprega uma tela de visão geral do FactoryTalk Batch de pronta-entrega, mas também desenvolveu uma tela personalizada para iniciar pedidos que serão lidos a partir de um sistema de registro eletrônico de lote, que será lançado em breve.

Além disso, o servidor FactoryTalk Historian SE tem nós de interface FactoryTalk Live Data e reúne dados de ambos os processadores ControlLogix e skids autônomos do SCP.

Em seguida, os dados do software FactoryTalk Historian são importados para o software Excel usando um add-in DataLink e, em seguida, o banco de dados SQL armazena os dados, alarmes, eventos e diagnósticos em lote. Os relatórios são feitos com os serviços de relatório do SQL server, que permite o acesso aos relatórios na Web.

É fácil ver como a implementação do PlantPAx na Bausch + Lomb é semelhante a outras instâncias de sua implantação. Algumas das minhas soluções favoritas relacionadas ao PlantPAx apresentadas na Automation Fair incluem:

Jim Montague
Publicado 2 Maio 2016 Por Jim Montague, Executive Editor, Control

Contato

A Rockwell Automation e parceiros oferecem conhecimentos excepcionais para ajudar você a projetar, implementar e dar suporte ao investimento em automação.

Subscreva-se na nossa newsletter

Receba as últimas novidades sobre as tendências tecnológicas e soluções da Rockwell Automation.