Crie a mão-de-obra do futuro

Crie a mão-de-obra do futuro

As mudanças na mão-de-obra exigem uma abordagem multifacetada que inclua projeto de máquinas, treinamento e estratégia de recrutamento para atender às necessidades de segurança de funcionários mais novos e experientes.

Steve Ludwig, gerente de programas de segurança da Rockwell Automation

A mão-de-obra industrial e de produção está passando por grandes mudanças. Os funcionários mais velhos estão se aposentando e levando com eles décadas de experiência e conhecimento. Enquanto isso, um pequeno grupo de funcionários talentosos, porém menos experientes, ocupam os seus lugares.

Esse fenômeno não é limitado a uma região, está acontecendo no mundo todo.

Nos Estados Unidos, a média de idade de um funcionário do setor de produção altamente qualificado é de 56 anos. Na Europa, a Comissão Europeia observou que um terço dos empregadores disse que as dificuldades no recrutamento se devem à falta de habilidades técnicas e candidatos. Na China, a McKinsey & Company estima que a demanda do país por funcionários altamente qualificados superará o número de funcionários disponíveis em 24 milhões em 2020.

Esse grande desafio da mão-de-obra terá desdobramentos importantes na produtividade global. Além disso, poderá gerar graves consequências na segurança dos funcionários.

Os funcionários mais velhos correm maior risco de sofrer certas lesões à medida que o envelhecimento começa a prejudicar o trabalho. Por exemplo, a capacidade de reconhecer e reagir a perigos pode levar mais tempo, e a capacidade de levantar ou transportar objetos pesados pode diminuir tornando-os mais propensos a lesões.

Por outro lado, funcionários mais jovens e menos experientes são feridos com mais frequência, com tendência a terem ferimentos mais graves. A agência governamental Safe Work Australia descobriu que funcionários australianos de 25 anos de idade ou menos no setor da produção tiveram uma taxa de incidência de 121 feridos por 1.000 funcionários, quase o dobro da taxa de incidência de funcionários mais velhos.

A sua resposta

Não há uma solução única ou de curto prazo para o desafio multifacetado e constante da disponibilidade da mão-de-obra. No entanto, você pode tomar medidas importantes para preparar melhor as operações e capacitar os funcionários.

  1. Aprimorar o projeto de máquinas. O projeto de máquina deve ser aprimorado para uma mão-de-obra em evolução. Os funcionários mais velhos exigem uma interação menos vigorosa fisicamente com as máquinas, incluindo a redução de levantamentos, inclinações e ações repetitivas. Funcionários mais jovens e inexperientes exigem sistemas de segurança ativos para ajudar a reduzir os riscos no caso de ações inadequadas, como colocar a mão em um local perigoso.

É preciso repensar como a máquina é projetada e construída.

As avaliações de riscos devem levar em conta não apenas os perigos tradicionais, mas também as questões de ergonomia e usabilidade para uma ampla variedade de funcionários. Os engenheiros que fazem avaliações desenvolvem especificações funcionais e projetam máquinas precisam avaliar todos os possíveis movimentos do operador e do técnico de manutenção.

Os sistemas de segurança contemporâneos, integrados aos sistemas de controle de máquinas, podem reduzir riscos e proporcionar uma operação de máquina eficiente e produtiva. Esses sistemas podem ser mais ergonômicos, reduzindo a probabilidade de que os funcionários anularem os sistemas e os coloquem em risco, além de não serem tão suscetíveis a paralisações quanto sistemas com fiação.

  1. Construir uma Connected Enterprise. A Connected Enterprise consiste em operações inteligentes, seguras e conectadas. O compartilhamento transparente de informações alcança pessoas, processos e tecnologias em operações globais e remotas, o que permite uma melhor colaboração, uma resolução mais rápida de problemas, inovação e produtividade aprimorada.

Do ponto de vista da segurança, uma Empresa Conectada (Connected Enterprise) pode ajudar a identificar riscos e a obter novas percepções sobre onde os desligamentos e incidentes de segurança estão acontecendo e sobre onde mais avaliações e reduções podem aprimorar a segurança do funcionário. A coleta e a análise de informações podem expor os locais, aplicações e operações específicas em que ocorrem ferimentos, quase acidentes e desligamentos de segurança, afetando a segurança e a produtividade do funcionário.

  1. Usar treinamento. O conhecimento dos funcionários mais velhos e experientes deve ser preservado e passado para os funcionários mais jovens e menos experientes. Os funcionários mais jovens também precisam adquirir as habilidades técnicas e o conhecimento necessários para manter o equipamento e localizar problemas, ajudando a reduzir o tempo de parada não programada e o tempo médio entre reparações.

Analise seu programa de treinamento e considere incorporar esses três elementos-chave para ajudar a reter e desenvolver o conhecimento da mão-de-obra:

  • Estabeleça um programa formal para documentar os processos e procedimentos padrão para manter a consistência na futura transição.
  • Analise os níveis de habilidades para o trabalho e de conhecimentos para confirmar que seus funcionários tenham o conhecimento e as habilidades para desempenhar no nível desejado.
  • Incorpore um programa de aprimoramento de competências sustentável e flexível em sua empresa para aprimorar continuamente a produtividade e a lucratividade.

 4. Usar serviços externos. Quando habilidades especializadas são necessárias apenas ocasionalmente, pode fazer sentido usar serviços técnicos e de consultoria disponibilizados por especialistas do setor. Em outros casos, serviços externos podem ajudar a ampliar a mão-de-obra existente quando você tem recursos limitados ou não consegue encontrar talentos localmente.

Por exemplo, as avaliações de segurança de máquinas exigem uma compreensão profunda dos padrões de segurança aplicáveis, dos perigos das máquinas e das técnicas de redução. Essas habilidades não são facilmente desenvolvidas e podem não ser necessárias no dia a dia. Avaliações de segurança de terceiros podem ajudar a verificar a conformidade com as normas, reduzir os riscos e melhorar a produtividade.

 5. Engajar sua comunidade. Os trabalhadores estarão menos propensos a pegar atalhos que comprometem a segurança se sua empresa for totalmente capacitada e produtiva. Infelizmente, não podemos mais simplesmente esperar que as escolas produzam funcionários. Devemos assumir a responsabilidade de criar a mão-de-obra do futuro.

Precisamos mostrar aos jovens funcionários a nova face da manufatura e informar sobre a gama de empregos interessantes e financeiramente compensadores disponíveis. Também precisamos despertar a paixão por essas habilidades no início do processo educacional, mostrando aos jovens as incríveis oportunidades de carreira que os esperam.

As industrias também precisam mudar sua percepção dos funcionários em potencial, incorporando grupos pouco representados, incluindo minorias e mulheres. Não se trata apenas sobre igualdade de raça ou gênero. Fabricantes e operadores industriais precisam de todos os funcionários brilhantes disponíveis para ajudar a fornecer novas soluções em um ambiente global e competitivo.

Como superar o desafio

Não há como escapar do fato de que a mão-de-obra mundial está evoluindo rapidamente, em termos de idade, necessidades e expectativas. Para fabricantes e outros operadores industriais, a única opção é assumir o controle desse desafio antes que ele o domine.

Isso significa redefinir sua infraestrutura para incluir um ambiente de trabalho seguro, condições de trabalho confortáveis, flexibilidade, treinamento e conhecimento que possam sustentar não apenas o futuro dos funcionários, mas também o seu.

The Journal da Rockwell Automation e nossa PartnerNetwork™ é publicado pela Putman Media, Inc.

Automation Today

A revista Automation Today é uma publicação semestral da Rockwell Automation destinada a comunicar as tendências e soluções na área de automação industrial.